Postagens

Mostrando postagens de abril 3, 2016

CONTOS E ENCANTOS: UMA PEDRA NO CAMINHO

CONTOS E ENCANTOS: UMA PEDRA NO CAMINHO : Era uma vez, um rapaz que reclama muito porque não tinha sorte, na opinião dele as outras pessoas sempre alcançava os objetivos sem muita...

UMA PEDRA NO CAMINHO

Imagem
Era uma vez, um rapaz que reclama muito porque não tinha sorte, na opinião dele as outras pessoas sempre alcançava os objetivos sem muita dificuldade mas para ele tudo era quase impossível, e mesmo ouviu alguém falar que o que tiver de ser será. Ainda estava dormindo, quando bateram em sua porta. Ele foi atender, e era um amigo avisando que estava havendo umas inscrições em uma multinacional, o salário era muito bom e além da ajuda de custo também pagavam a faculdade. E ele perguntou: São quantas vagas? E o rapaz respondeu que uma só, então é a sua, eu não tenho muita sorte, e já que me acordou, vou tomar banho no açude e no dia certo as coisas acontecem. A caminho do açude esbravejava porque nada dava certo para ele, até uma oportunidade de emprego que surgia tinha de concorrer com outras pessoas. Entrou na água e mergulhou várias vezes e quando já estava de saída viu submersa uma pedra muito brilhante. Pensando que pudesse ser algum objeto de valor mergulhou para pegar. Mas ante

CONTOS E ENCANTOS: Madrugada fria

CONTOS E ENCANTOS: Madrugada fria :         Madrugada fria, a rua parecia uma cidade fantasma e brisa que soprava varria o chão levando algumas folhas das árvores vizinhas. U...

Madrugada fria

Imagem
        Madrugada fria, a rua parecia uma cidade fantasma e brisa que soprava varria o chão levando algumas folhas das árvores vizinhas. Um barquinho de papel deslizava na correnteza do acostamento e talvez fosse uma mensagem de um casal apaixonado , ou apenas carregava lembranças e sonhos.      Uma mariposa encantada pelo claro da lua voava lentamente. Começou a chover,  e as sombras que o vento fazia ao balançar as árvores misturavam-se aos reflexos das gotas que caíam nas poças de água deixada pela chuva. Relâmpagos cortam o céu e um raio deixou a pequena rua no escuro, em algum quarto iluminado por uma vela uma moça ler o romance Cem anos de solidão, de Gabriel García Márquez.     A madrugada fria não permitiu que aquela jovem dormisse, lembranças invadiram seus pensamentos e procurou na leitura de um excelente romance amenizar a angústia que lhe atormentava. Mas não era a única por uma desilusão, na rua um fantasma vagava junto ao frio, e sem saber em qual dimensão estava,