28 de jul. de 2023

Correndo na Frente

 

  

 

  

 


Por muito tempo ouvi as pessoas falarem; se quiser conseguir alguma coisa tem que correr atrás, e eu imaginava, isso está errado. Quem está em primeiro a possibilidade é bem maior, e um dia assistindo a uma palestra, o palestrante falou, ou você faz poeira ou come poeira e aquela frase fortaleceu minha ideia, você tem que correr na frente e não atrás. 

   Observando a fórmula 1 vi que os treinos classificatórios para decidir a largada, é porque quem larga em primeiro tem uma grande vantagem, 
Grandes empresas em seus desenvolvimentos tecnológicos, quando que na prévia já é sucesso ele deixa o concorrente para trás, e se ele correu na frente, vai chegar primeiro em faturamento e em prestígio. 

 Quem corre na frente tem visão ampla e está na liderança, e liderar é uma grande conquista. se prepare para correr na frente, mas não esqueça de olhar pelo retrovisor, as vezes pensamos que somos senhores da situação e somos ultrapassados.

Leio os jornais, escuto telejornais e vejo com muita alegria o aumento considerável de concursos, e muitas pessoas falam, se eu soubesse que passava eu ia fazer, se eu tivesse certeza de que me chamavam eu ia me inscrever, então, se milhões de pessoas lessem o que eu escrevo, eu ficaria famoso, só que eu escrevo e a chance de alguém ler existe, mas eu tenho certeza de que terei de melhorar muito, para atrair um número maior de leitores. 

        E você só vai se vai se inscrever se tiver certeza de que passa e é chamado, assim é quase impossível, é fundamental continuar agindo de forma proativa e se preparar para um eventual chamado, o sucesso jamais vai acontecer com continuismos ultrapassdos e obsoletos, ser, e fazer diferente, é uma grande jogada.

 
Primeiro tem que fazer a inscrição, focar o concurso com determinação, procurar um curso preparatório, e acreditar em seu potencial, aí sim, você estará fazendo um treino oficial, para largar em primeira colocação, estará correndo na frente dos que só pensam no se. Corra na frente, seja o destaque, supere os desafios, elimine as incertezas, acreditar, continua sendo o percurso mais curto para conseguir. 

Antônio Lopes Bezerra 

O conhecimento é um farol na escuridão 

7 de jul. de 2023

A consciência de Ártemis.


 




Ártemis, a deusa grega da natureza, habitava os vales e montanhas, sempre acompanhada pelas ninfas que dançavam entre as árvores e riachos. Ela era uma caçadora habilidosa, mas também uma protetora dos animais e dos caçadores que dependiam da caça para sobreviver.

Nos bosques sombreados, Ártemis caminhava silenciosamente, seu arco e flechas sempre à mão. Ela não caçava por esporte, mas sim para garantir o equilíbrio da vida selvagem. Quando os caçadores se aventuravam em suas trilhas, ela os observava com olhos atentos. Se caçassem com respeito e gratidão, ela os abençoava com sucesso. No entanto, aqueles que matavam sem necessidade ou crueldade eram punidos.

Além de sua conexão com a caça, Ártemis também era conhecida por ajudar nos partos. Ela protegia mães humanas e animais durante o processo de dar à luz. As mulheres grávidas faziam oferendas a ela, pedindo por uma gestação segura e um parto saudável. Ártemis, com sua compaixão e força, guiava as mães e suas proles para um novo começo.

No Olimpo, os outros deuses respeitavam Ártemis por sua dedicação à natureza e aos seres vivos. Ela era uma divindade única, uma guardiã dos animais e uma amiga das ninfas. Seu amor pela vida selvagem e sua habilidade de proteger os mais vulneráveis a tornavam uma figura admirada por todos.

E assim, Ártemis permaneceu, uma deusa que equilibrava a caça e a proteção, a vida e a morte, nos vales e montanhas que ela chamava de lar.

Ártemis, a deusa da natureza, ergueu seu arco e olhou para a vastidão das florestas e montanhas. Ela entendia a complexidade da vida selvagem, a teia intricada de predadores e presas, e a necessidade de equilíbrio.

Seus olhos penetrantes varreram a paisagem. Ela via os caçadores modernos, alguns movidos pela necessidade, outros pelo prazer insaciável. Ártemis sabia que a sobrevivência era uma batalha constante, mas também reconhecia que a ganância e a crueldade podiam desequilibrar tudo.

“Proteger a vida”, murmurou ela, os ventos carregando suas palavras. “É mais do que sobreviver. É garantir que cada criatura tenha seu lugar, sua função na grande dança da existência.”

Ártemis não era apenas uma caçadora. Ela era a guardiã dos animais, a protetora das ninfas e das florestas. Sua imortalidade lhe dava uma perspectiva única. Ela testemunhara civilizações surgindo e caindo, mas a teia da vida permanecia constante.

Ela se dirigiu aos caçadores, não com ira, mas com compaixão. “Caçar por necessidade é uma arte antiga”, disse ela. “Mas matar por prazer é uma traição à vida. Quando a cadeia alimentar é rompida, todos sofrem.”

Os caçadores ouviram suas palavras, alguns refletindo sobre suas ações. Ártemis não exigia que parassem de caçar, mas que o fizessem com respeito e gratidão. Ela abençoava aqueles que honravam a vida e punia os que a desrespeitavam.

E assim, a mensagem de Ártemis ecoava pelas florestas: proteger a vida era preservar o equilíbrio. Se os seres humanos e os animais não coexistissem em harmonia, a cadeia alimentar se desfaria, levando a consequências imprevisíveis.

Ártemis, com seu arco e sua sabedoria, permanecia como um farol de esperança. Ela lembrava a todos que a vida era preciosa e que a proteção de todos os seres vivos era uma responsabilidade compartilhada.

E assim, nos vales e montanhas, a deusa da natureza continuava sua vigilância, lembrando-nos de que a vida era um presente frágil e sagrado. 

Quando eu era criança meu pai ia pescar e me chamava para acompanhá-lo, sempre dizia; vou pegar peixe para a gente jantar. Jogava a tarrafa na lagoa e recolhia, o claro da lua permitia que ele enxergasse quantos peixes tinha pescado, e quando encontrava um curimatã fêmea bem gordinha, ele jogava na água, ria e comenta: ela nos dará muitos peixinhos depois. 

Sei que estão pensando o que tem a ver Ártemis e a nossa pescaria, simples, a consciência de um homem simples de que sem preservação não existe vida. É extremamente importante preservar a natureza e oferecê-la de forma saudável a nossas futuras gerações, ensilá-las a plantar uma árvore, preservar o meio ambiente, amar os animais, e respeitar a vida. 

Ártemis nos ensinou como viver melhor, a nossa ignorância em não querer aprender, nos tem causado sérios problemas que ainda permanecerão por muitos anos, mas se a gente rever os nossos conceitos, poderemos reverter esse quadro crítico e evitar mais sofrimentos. 

 

Antônio Lopes Bezerra 

“O conhecimento é um farol na escuridão” 

19 de jun. de 2023

Inteligência Artificial

 


A inteligência artificial chegou para ficar, não precisamos temer o avanço da tecnologia, e sim aprender muito com ela. Ontem fiz algumas experiências com aplicativos do chatgpt, e fiquei impressionado com os recursos que trarão facilidade em nosso dia e dia, e com esse avançado meio de comunicação e conhecimento, só fica fora e desinformado quem não mergulhar na oportunidade de aprimorar conhecimentos.
Antônio Lopes Bezerra: O enviado de Órion é uma forma de enxergar a humanidade sob outra ótica. Acredito que não estamos sozinhos no universo e que o planeta Terra sempre recebeu ajuda de outras civilizações que, junto conosco, aprendem sobre o ser humano e também nos ensinam valores ancestrais, há muito esquecidos. É, ao mesmo tempo, uma crítica e uma declaração de amor à nossa humanidade.

Os Contos da Fada Zuculina é um livro infantil escrito por Antônio Lopes Bezerra. O livro conta a história de Zuculina, uma fada que visita o planeta Terra e descobre que a magia da felicidade está desaparecendo. Na tentativa de fazer renascer a esperança no mundo ela visitou os mais diversos lugares, de castelos a palafitas, e percebeu que as sombras dormiam em quase todos os leitos12.

Espero ter ajudado! Você tem alguma outra pergunta?

Lógico que além de divulgar meus tralhos, mostro a todos o quanto o chatgpt será útil para todos nós, pesquise a terá a resposta. Um assistente confiante e pronto para tirar dúvidas e expandir conhecimentos.  Não exite, entre nesse mundo de informações pronto para servir aos que lhe procurar.


Antônio Loes Bezerra

"O conhecimento é um farol naesccuridão"

14 de abr. de 2023

Calma, Mundo

 


O que realmente está acontecendo? A violência desenfreada nos deixa incerto sobre o amanhã, não conseguimos entender ou muito menos aceitar o descontrole emocional de tantas pessoas. E mesmo que isso seja resultado de uma desiguadade que perrcorre o planeta desde o seu princípio, não é justificável ceifar vidas de pessoas que nem viveu ainda. Sabemos que a lógica dos pensamentos não prevalecem, mas apelamos para a sensatez de valorizar a vida.

Quem perde a liberdade, estará em um labirinto cercado de medo, nãoprecisamos expor o nosso desespero, nem tão pouco provar a ninguém do que somos capazez, a vida é a nossa maior conquista, e viver é proteger e ser protegido sem perder a liberdade. Amar é tão desafiador quanto perdoar, e é nescessário aprender a pensar e agir para não ter que se arrepender, depois de consolidar nossas ações desproporcionais a lógica da vida, o arrependimento de nada servirá.

Não caiam no conto de que o arrependimento apaga o nosso passado, somos todos responsáveis por ele, e prestaremos conta com certeza. Calam mundo, ainda há tempo para consertar muita coisa, para todas as pessoas escravizadas pelo desespero, procurem ajuda, se ajudem e estarão ajudando ao mundo.

Sou o que está no nada, as osquestras da alma e a infinita calma. O orvalho da mata, o barulho das cascatas, as pisadas dos espíritos,o grito dos mudos, sou o normal e o absurdo,me não me escutas, morrestes sem viver. Ah, sou simplesmente o silêncio, que deveria existir em você.

Por último um grande pedido: Ame e se permita viver.


"O conhecimento é um farol na escuridão"

AntônioLopes Bezerra

TÁ na Hora

 


Tá na hora de enxergar a realidade e fazer um sacrifício para melhorar o mundo, já que mudá-lo é algo basicamente impossível. Nossas vidas que antes eram associadas ao destino, atualmente são incógnitas diante de um mundo doente e transbordando de insanidade, já não é apenas cautela, é prece, proteção e sorte. Mais somos árvores resilientes, cortadas ou podadas, rasgam os galhos com novos brotos.

Precisamos acionar a nossa consciência coletiva, para entender os desgastes emocionais de tantas pessoas em que muitas vezes julgamos e condenamos, sem no mínimo pensar sobre situações ou motivações contrárias a normalidade. Amar, esse verbo desafiador e necessário fará a grande diferença . Amar é tão difícil o quanto é fácil dizer que ama, mas se é pra falar de amor, teremos que mergulhar em nossa história ancestral e tentar descobrir o que muitos fizeram para serem imortalizados.

Não se dobrem diante das dificuldades, e por doloroso que pareça ser ouvir isso, talvez seja o atalho mais curto para que a vida possa continuar. As forças que divulgamos que os outros têm, nós as temos também. Viver é desafiar o mundo e suas intermináveis insanidades, é olhar ao lado e saber que continuar não é uma opção individual, vencer é reconstruir cada degrau de nossa escada, que de forma involuntária ou não, alguém destruiu. Seremos a semente que precisar abrir a terra para garantir a espécie, só assim teremos a certeza que as futuras gerações passarão por nossas sombras.

A.L.Bezerra

8 de abr. de 2023

Ganhos e Perdas

 


Somos todos pedras de um gigantesco tabuleiro, avançar ou retroceder nem sempre será a nossa escolha, quem está no comando do jogo possui estratégias poderosas e interessantes, e possivelmente a ideia de tornar nossas jogadas mais difíceis, tem como principal objetivo desenvolver nossa capacidade de reação diante de cada obstáculo. Essa inteligência invisível joga duro e exige sacrifício, infelizmente em algumas situações desconhecemos as regras do jogo e trapaceamos.

Falam que o melhor ataque é a defesa, mas se precisarmos ganhar o jogo, a retranca é o atalho mais curto para a perda do mesmo. Ganhos e perdas é um processo necessário para que a gente possa avaliar o que somos e o que fizemos. Jogar com integridade e respeito ao adversário não é covardia, é uma atitude sábia que poderá nos levar a vitória. Vencedores e perdedores só conhecem o resultado quando termina o jogo, eis mais um grande lance do tabuleiro da vida.

As impossibilidades existem e todos nós somos sabedores desse detalhe, mais a convicção que é bem melhor acreditar na possibilidade, pode mudar tudo. Determinação é essencial, sabedoria e necessária. Perder é doloroso, desistir é descabido, enquanto o dono do jogo move as pedras em nova jogada, é o momento certo para que a gente aprenda alguma coisa com ele. A ingenuidade ao se considerar invencível ou insubstituível, é um salto em areia movediça, aí o fracasso nos abraça.

Ganhar é algo maravilhoso, e será espetacular se esse ganho tiver um conteúdo verdadeiro. Elogios, abraços, carinhos, ou algo mais, de nada valerá ganhos, se em ambos não existir sinceridade, por isso vale mais uma crítica verdadeira, do que um falso elogio. Entre ganhos e perdas existe o abismo da incerteza, mais isso jamais deve ser motivo para nos afastar das nossas conquistas. Entre o hoje e o amanhã, a única certeza é a de que nada é para sempre.


Antônio Lopes Bezerra

Contos e Encantos: A Vida Continua

Contos e Encantos: A Vida Continua:   A vida continua, é essencial essa continuidade mesmo que temporária, assim poderemos corrigir nossos erros e lutar por um mundo mais digno...

7 de abr. de 2023

A Mãe e o Monstro




A vida desde o princípio tem sido um enorme desafio, e mesmo com tantas dificuldades de convivência e sobrevivênca, não existia tanto medo quanto agora. Vivemos sob a sombra da incerteza, e a morte nunca foi uma ameaça a vida, a sua maior persiguição é a insanidade. Em um mundo distante surgiu uma senhora da cor da terra. Solitária, de altura incomun e grandiosa em bondade, teve uma ideia genial. Com cipós teceu um enorme cesto e passou a recolher e proteger filhotes orfãos, em uma caverna entre árvores e arbustos construiu um abrigo para eles,

Em suas caminhadas encontrou meninos e meninas em perigo, e passou a cuidar do humanos também. Meses depois apareceu um monstro que passou a persegui-la, puxuva alguns filhotes por entre as malhas do cesto e tentava devorá-los, mesmo carregando tanto peso nos ombros ela lutava contra o monstro. Alguns nativos as vezes presenciavam a luta, mas não se envolviam temendo alguma reação. Depois surgiram muitos outros e ela teve que abandonar o abrigo e vagar na terra carregando o enorme cesto sobre os ombros.

Cansada e triste, chorou tanto que suas lágrimas se transformaram em lagos e rios na Terra. Mas ela não desistiu de lutar, e continua peregrina tentando salvar vidas. Os monstros se multiplicaram, e muitos deles passaram a monitorar a ausência de pais e mães para sacrificarem seus filhotes. Naquele tempo os nativos não possuiam os recursos que existem hoje, a comunicação. Precisamos nos unir e pedir proteção, lutar com inteligência e sem violência para tentar parar os monstros na Terra.

Aquela mãe que carrega o cesto chio de filhotes, somos todos nós. Perece que as lágrimas dela estão mais fortes, as inundações estão ficando fora de controle mas existe explicações para tudo, são poucas as pessoas que associam tantos dasastres como um alerta ao mundo, a grande maioria entende que são apenas causas naturais. Necessitamos de sabedoria e coragem para enfrentar as surpresas que ainda estão por vir.

A terra vai abrir, inundações, vendavais, nevascas, incêndios, e mais monstros surgirão. A proteção não pode ser individual, quando tais fenômenos acontecerem somos todos em um planeta sucumbindo com o peso da maldade, desigualdade e ignorãncia. A senhora com o cesto cheio de filhotes não os via pela cor nem beleza, os olhos do amor fazia com que ela enxergasse todes eles, precisamos nos unir em prol do bem, essa luta é de todos nós.


Antônio Lopes Bezerra

6 de abr. de 2023

Mundo Eletrônico


 Atualmente estamos vivendo o começo do mundo eletrônico, cheio de plataformas digitas, software de alta performance, brinquedos eletrônicos, robôs domésticos e industriais, e muito mais. No entanto essa fantástica ferramenta ainda é associada a vários problemas sociais. Algumas pessoas conservadoras, e uma grande parte com pouco conhecimento sobre o avanço tecnológico, atribuem o mundo confuso e doente a internet.

Cresci ouvindo a seguinte frase(Tudo demais é veneno) A internet tem sido uma ferramenta espetacular, mas tudo exige controle, para quem não sabe administrar o uso da mesma, ela vai se transformar em uma droga virtual, e causar dependências desastrosas. Exemplos assustadores, são jovens que aceitam desafios maliciosos, e muitos deles chegam a perder a própria vida, ou entrar em depressão com os efeitos devastadores do bullyng, uma violência psicológica promovida por distúrbios mentais, ou morais.

Outro exemplo preocupante que presenciei por várias vezes, casais, ou até mesmo roda de amigos, substituindo a beleza da voz, por mensagens eletrônicas. Defendo as escolhas e condeno julgamentos sem conhecimento da causa, no entanto atitudes dessa natureza liga o alerta sobre a dependência eletrônica. Tudo, tudo mesmo, exige controle. Jogo game desde mil novecentos e oitenta, tenho um time virtual que tem hino e bandeira, mas nunca me permiti ser dominado pelas minhas escolhas.

 Em primeiro lugar a família, depois trabalho, lazer. Administro o tempo de uma forma que não me falta tempo para ler, escrever meus livros, jogar game, postar no blog, me divertir com a família, me atualizar com o celular, e muito mais. Somos todos responsáveis por um mundo mais consciente e saudável, e um bom convívio em familiar, vai diminuir as chances deum estranho ter mais voz do que a família. 

Esse é um desafio grande e necessário, o diálogo, apoio, confiança, respeito, e a dignidade para jamais fugir das responsabilidades de cidadania, educar sem a necessidade de punir, conscientizar sem querer moldar, entender que cada pessoa é um mundo. Não somos robôs em série, somos todos diferentes.


Antônio Lopes Bezerra


As Joias do Rei


Em um tempo distante existiu um reinado cujo rei era muito ganancioso, as monarquias de menor poder eram saqueadas e suas principais joias levadas para o rei. Como a ganância é um monstro insaciável, ele continuou com uma política opressiva e desleal. Nada é sustentável quando a desigualdade é predominante, os reinados vencidos pelo medo e a opressão, unificaram seus povos, o único meio para não desapareceram da Terra.

Formaram um exército gigantesco e cercaram o reinado do tirano, exigindo nada mais além da parte que  ele havia tirado deles, mesmo porque a maior perda tinha sido de liberdade, essa é maior do povo e consequentemente de uma nação. O rei decidiu lutar, pouco importava o sofrimento de sua gente e dos adversários, seu inalcançável nível de ego só lhe permitia defender a coroa e as joias.

Inesperadamente entre as muralhas do grande reino e o exercito unificado, surgiu Baldur filho de Odin, um dos deuses mais queridos exatamente pela habilidade de resolver conflitos com violências brutais. Seus conflitos com Loki e sua descontrolada inveja e traição, fez de Baldur um dos mais queridos entre os deuses. 

Ninguém o conhecia e ficaram todos assustados com a presença dele, por sua vez, ele apenas pediu que chamassem a moça que cuidava das flores do jardim, então foram chamá-la.

Ao chegar, Baldur pediu que ela levasse o rei para um passeio no submundo, e todas as joias fossem espalhadas na jardim, para os homenzinhos que guardam os tesouros da terra. Um dos guardiões do rei falou: Se ela tocar nas joias, ele vai matá-la.

-Não se preocupe, ela vai se apresentar como ela é, e não como está agora. A moça da romã, não recebe ordens dos mortais, e menos ainda sofrer ameaça de um tirano. Quanto a vocês, voltem e refaçam seus reinos com uma certeza, todo ser humano que cometer injustiça e promover desigualdade, receberá mais cedo ou mais tarde a minha visita, e para cada um terei um mundo conforme seu merecimento, alguns tesouros são passageiros, e o mais importante se eterniza.

Antônio Lopes Bezerra




Futebol, Paixão ou Loucura?

 




Futebol, paixão ou loucura? Amor dificilmente será, porque conheço torcedores que seguem seus ídolos independente de clubes futebolísticos em que eles joguem. Paixão, esse sentimento extraordinário e profundo pode ser duradouro ou passageiro, no entanto é capaz de alterar  o comportamento das pessoas, chegando casos extremos de demasiada admiração, e em muitas vezes com proteção excessiva ao ponto de perder a noção de normalidade.

Loucura, um distúrbio caracterizado pela insensatez e falta de controle emocional. A loucura aqui destacada, é bem diferente do tipo tratado pela psiquiatria, é uma condição na qual o indivíduo foge das leis naturais de respeito a vida, e promove violência injustificável pela ação. Exemplo típico dessa natureza intolerável está acontecendo em muitos esportes, pessoas que vêm a camisa de uma agremiação, mas não conseguem enxergar quem está dentro dela, um ser humano com suas imperfeições, mas movido a desejos e emoções.

Paixão passa, o que demora a passar é a dor que provocamos com o nosso aparente amor. Viver é um direito de todos, mais devido comportamento estravagantes e inadmissível, algumas pessoas em ocasiões desastrosas ceifam a vida de outras. Jogadores e torcedores são parecidos com os clubes, os quais vivem de momentos e as glórias são passageiras. Sem jamais querer julgar ninguém, mas fica impossível aceitar brigas, agressões, mortes, por cores clubísticas. Quando isso acontece é porque ignoram o direito de escolhas e a liberdade de ser e querer, O troféu mais importante não é aquele que fica exposto na sede de uma agremiação, mas o que conquistamos para a galeria de nossas vidas.  

Futebol tem como objetivo promover o lazer, jamais deveria ser bandeira de interesses pessoais e transformá-lo em arenas de lutas. Possivelmente muitos dos que cometem brutalidades, horas depois estão arrependidos, mais para as famílias dos que perderam seus entes queridos, a dor será para sempre. Não precisamos de violência, quem perde hoje poderá ganhar no próximo jogo, o acesso, o título pode ser no ano seguinte, e nos precisamos estar vivos comemorar.

Paixão e loucura é uma ameaça a felicidade, ser feliz é difícil mas não impossível, encontre a felicidade primeiro em nós, aprender a respeitar as escolhas alheias, entender que cada um tem seu próprio caminho, e evitar medir forças. A vida mesmo que em algumas etapas seja por demais desafiadora, continua sendo vida. Nada é para sempre em um mundo de constantes mudanças, viver e deixar viver, uma regra simples e infalível. Viva e se ame, para poder amar aos outros.


Antônio Lopes Bezerra

contos e encantos: Uma Janela no Coração

contos e encantos: Uma Janela no Coração :   O amor é realmente um sentimento profundo e poderoso. Ele transcende as palavras e se manifesta...